Críticas de Livros

Sob a Luz da Escuridão, Ana Beatriz Brandão | Crítica do Livro

Compre o livro na Amazon

“Será certo vivermos o agora pelo agora, sem pensar por nem um segundo em como nossos atos podem afetar nossa vida — e nossa morte? Não era algo que eu podia afirmar, mas talvez, se tivéssemos menos medo de aproveitar as chances e oportunidades antes de o fim chegar, pudéssemos curtir um pouco mais a vida. Ou ter menos medo de vivê-la.”

(Lollipop, pág. 134)

A princípio quando peguei Sob a Luz da Escuridão da Ana Beatriz Brandão publicado pela Verus imaginei que a autora não tivesse gabarito suficiente para escrever uma distopia desse nipe e o início do livro começou corroborando meu argumento, porém-contudo-todavia-entretanto durante o decorrer da história, enquanto os personagens crescem e evoluem, a escrita da Bia sobe a ladeira também, mas eu preferi a escrita dela em O Garoto do Cachecol Vermelho (livro incrível, aliás).

Sob a Luz da Escuridão conta a história de Lollipop e Jéssica, elas são o foco principal desse livro pós-apocalíptico, onde a radiação transformou a genética dos novos bebês nascidos neste novo mundo, essas crianças são chamadas de Metacromos. Logo no início da história as personagens nos são apresentadas, em meio a uma cena caótica, há uma passagem de tempo e, então, elas estão fugindo de novo, deixando Chris, seu protetor, para trás. Esse personagem foi mal explorado e ficou com um gostinho de quero mais, esperava mais dele na história e meu “eu” interior até torcia para ele voltar e ficar com a Lolli (inclusive ainda torce).

As meninas são capturadas, vão parar em um dos maiores grupos que se ergueram após todo o drama no mundo, há um quase beijo inesperado e tcharam! outra passagem de tempo. Contei quatro passagens e não estava sequer na página 100 ainda. Após a quarta passagem de 1 mês e meio, se não estou engana, surge um papo dos principais estarem apaixonados. DO NA-DA. De fato, o Evan mostrou alguns indícios de desejar Lollipop, mas até o momento ela não tinha mostrado qualquer sentimento substancial por ele. Houve uma introdução de um romance que sequer os personagens pareciam sentir.

“Evan era muito parecido comigo, por mais que eu odiasse admitir. Tínhamos receio de perder a identidade se nos apaixonássemos por alguém e, pior tínhamos medo de amar intensamente e depois perder. Ele estava inseguro e com medo de se permitir amar Lolli, e a única defesa que tinha para evitar isso era a raiva e a negação.”

(Samuel, pág. 128)

Por mais que seja deixado claro a ligação entre Evan e Lollipop por causa do passado deles, já que antes de ser Lollipop ela foi também Amélia e Celena, eu ainda acredito que o romance no início deveria ter sido melhor desenvolvido. A autora pareceu usar desse artificio do passado para correr com as coisas e, no fim, mais da metade da história acaba ficando focada no relacionamento deles. Parece que tudo que eles fazem influenciam de alguma forma no clã.

Senti falta de uma melhor ambientação sobre onde de fato ficava localizada a Área 4, algo me diz que era na América do Norte, já que em alguns momentos é citado algumas cidades lá de cima, gente de sobretudo e inclusive no final há neve, não sei se radiação teria o poder de afetar o clima a ponto de nevar pra valer onde fica o Brasil no mapa. Não que essa falta de ambientação afete a história, só que como é um distopia eu sempre espero que o mundo criado pelos autores tenham riqueza nos detalhes.

Outro ponto importante, a questão da distopia. O livro está vendo vendido como uma distopia e não deixa de ser, realmente é, mas quando eu pego um livro para ler nesse foco eu não espero que sob o holofote do livro esteja um romance. Na minha humilde opinião há uma pitada de apocalipse em um romance, não digo que é ruim, óbvio que não, adoro romances, mas talvez para quem compre o livro que esperando ser focado na distopia e em desenvolver o mundo pós-apocalíptico pode ficar meio decepcionado.

E, para finalizar com chave de ouro a história Ana Beatriz deixou o final em aberto, não há qualquer indícios no livro que fale sobre uma continuação, porém o final deixou bem sugestivo que vem um volume dois por ai e com um belíssimo triângulo amoroso para acalentar nossos corações.

PS: Não leia a última página deste livro, porque entrega todo o ouro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *