Críticas de Livros

Bruxa Akata #1, de Nnedi Okorafor | Crítica do Livro

O comum hoje é estarmos expostos a histórias de culturas norte americanas e europeias. Raramente encontramos com destaque algo que acontece em nosso país, e com mais dificuldade ainda um enredo no continente africano.

Bruxa Akata vem para quebrar esse paradigma, voltado quase completamente para culturas africanas. A protagonista Sunny nasceu nos Estados Unidos, mas mora desde pequena na Nigéria. Tirando o fato dela ser albina, ela é aparentemente normal, com uma família normal em uma escola normal. Mas ela é uma das únicas pessoas que podem salvar o mundo.

E então ela descobre ser uma bruxa, mais especificamente uma pessoa-leopardo, que são seres com poderes e habilidades. E então ela se vê inserida em um novo mundo completamente novo e que nem mesmo sua família pode saber.

Seus amigos são peças fundamentais no enredo. Orlu é da escola da protagonista e é um dos que a introduz nesse mundo, junto de Chichi, uma menina também já experiente. Para concluir o grupo tem o Sasha, um garoto que foi mandado para a Nigéria por mal comportamento nos Estados Unidos.

Todas essas crianças têm menos de 15 anos e tem muita personalidade. As características de cada um é tão impactante que é fácil reconhecer quem está falando apenas pelo diálogo. Eles vão cumprindo diversos desafios para aprender mais sobre seus poderes em sua segunda escola, com uma das pessoas-leopardo mais importantes.

A autora Nnedi Okorafor consegue apresentar o universo africano misturando a cultura real, com a ficção e folclore local, e tudo numa maneira envolvente e intrigante que faz o leitor não soltar o livro. Ela soube criar um universo com diversos comportamentos e estratégias diferentes da sociedade das ovelhas, que são pessoas sem poderes. Uma delas é você ganhar dinheiro a cada novo aprendizado.

Pela protagonista não ter contato com esse universo os leitores passam a descobrir as coisas junto com ela, tornando a história ainda mais imersiva. Ao longo do livro vamos aprendendo sobre a cultura local africana, a cultura das pessoas-leopardo e também sobre o vilão que está ameaçando o equilíbrio do mundo.

É uma ótima forma de conhecermos a vivência de um local tão pouco explorado na literatura best-seller e ainda que ainda entretém o leitor. O encerramento conclui o primeiro ciclo da história de Sunny e seus amigos, mas fica claro que muito mais ainda está por vir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *