Críticas de Livros

A Duquesa Feia, de Eloisa James | Crítica do Livro

Compre o livro na Amazon

A Duquesa Feia é o terceiro livro da série de Contos de Fada da autora Eloisa James publicado pela Arqueiro. Gostaria de dizer que se eu soubesse que a escrita dela era tão fantástica e cativante teria começado essa série pelo primeiro livro, não o terceiro. Desde que soube da existência da série eu tenho vontade de ler, mas por estar tão em alta essas adaptações, bateu aquela preguiça, porém me arrependo de não ter me rendido a modinha.

“Ela já vira aquele volume específico sob as calças dos homens. No entanto, foi um choque ver o de James. Ela não pensava nele naqueles termos.
Então, de repente, pensou.”

Theodora Saxby e James Ryburn são quase irmãos. Desde muito novos moram na mesma casa e foram criados juntos, já que o pai da menina deixou seu exorbitante dote nas mãos do Duque de Islay, um senhor arrogante e que curte tacar qualquer coisa no alcance de suas mãos quando está irritado. O que o pai de Theodora não contava era que o amigo e Duque fosse dilapidar o dote da filha, e, por causa disso, para encobrir seu estrago e impedir a menina de frequentar a Temporada de Londres para meninas casamenteiras, ele convence o filho a se casar com ela. Para salvar o pai da Câmara dos Lordes, James aceita a proposta de se casar com sua melhor amiga.

Era de se esperar que não desse certo, Theodora descobre, vira a fúria em pessoa e manda James e o Duque embora da casa. A garota se torna capa dos jornais por mais tempo do que o necessário, não bastava no dia do casamento ter sido chamada de feia pelos tabloides, agora eles diziam que o futuro duque não aguentou mais do que dois dias casados com a Duquesa Feia. Ela se exilou numa das propriedades do interior, com a morte do Duque e da mãe resolveu refazer sua vida em Paris, a capital da moda na época. Theodora poderia até ser feia para os padrões, mas sabia se vestir como ninguém e em pouco tempo cada ditame seu da moda era seguido a risco pela alta sociedade.
Então, alguns anos depois, fez sua volta triunfal a alta sociedade londrina. Ainda sem notícias de James, põe alguns detetives atrás dele, o que menos ela quer, é declarar sua morte presumida e voltar ao mercado de casamento.

É um livro IN-CRÍ-VEL, há tempos, desde Como Se Casar Com um Marquês de Julia Quinn, não leio um Romance de Época tão sensacional e meio fora dos padrões. Inclusive é a primeira vez em que vejo a temática pirata nesses tipos de livros, fico feliz por outras coisas da época estarem sendo abordadas e a autora não se prender apenas ao romance central, isso torna a história mais dinâmica e diferente, é claro. Se a escrita de Lisa Kleypas fosse tão envolvente com certeza não estaria enrolando para ler Uma Noiva para Winterborne.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *